Um Médico Rural | Franz Kafka

Por @meire_md

“Às vezes ele me olha como se quisesse me dizer: vou levá-lo comigo, pai. Então eu penso: você seria o último a quem eu me confiaria” (da pequena narrativa ‘Onze Filhos’)

 

Franz Kafka, nascido em 03/07/1883 e falecido em 03/06/1924, é considerado um dos maiores escritores do século passado.  Quando alguém me pede indicação de algum livro do autor, costumo sugerir que comecem por dois: Um Médico Rural, que tem quatorze  narrativas que funcionam como uma excelente degustação da sua obra, e o pungente Carta ao Pai, que costumo chamar de pequeno livro gigante.

Kafka teve uma relação muito complicada com o pai, cuja mão autoritária, descrita pelo tradutor Modesto Carone como uma “presença esmagadora”, desceu pesada sobre o único filho homem que sobreviveu à infância. Embora tenha tido o amor da mãe e das irmãs, é amplamente aceito que os traumas associados à educação imposta pelo pai influenciaram boa parte de sua obra. Eu acredito que sim.

Em 1917 Kafka sofreu o primeiro episódio de hemoptise (“escarro com sangue”) e após o diagnóstico de Tuberculose dividiu-se entre o trabalho burocrático, as internações e a escrita. 

A Metamorfose, Na Colônia Penal, O ProcessoO Veredito foram escritos antes da tuberculose. Já Um Médico Rural e  Um Artista da Fome, entre outros, foram concluídos depois do início da doença.  O curioso é que em 1918 ele contraiu Gripe Espanhola e conseguiu driblar a morte.

Embora tenha tido algumas namoradas e chegado a noivar três vezes —duas delas com Felice Bauer—, Kafka permaneceu solteiro e não teve filhos. É possível que ele tenha se recusado a assumir compromissos ou ter filhos porque já sabia que não viveria por muito tempo. Pesado.

O último livro escrito por Kafka foi Josefina, a cantora. Tenho uma edição brasileira de 1977 (Editora Clube do Livro) com tradução de Torrieri Guimarães,  que por um golpe de sorte achei no Sebo do Messias.

Um médico rural, de Franz Kafka

Minha edição de ‘Um Médico Rural’ (Companhia das Letras) foi traduzida direto do alemão por Modesto Carone, que foi premiado em 1989 pela tradução de “O Processo”.

Trata-se de um livro composto por quatorze contos – ou pequenas narrativas como Kafka preferiu chamar – que, com exceção de ‘Diante da Lei’ e ‘Um Sonho’, foram escritos entre 1916 e 1917.

‘Diante da Lei’ e ‘Um sonho’  foram escritos antes dos outros doze e incluídos por intervenção do editor, o que pareceu algo acertadíssimo porque transformou “Um Médico Rural” em uma coletânea que representa todas as facetas do escritor.

Alguns contos como ‘O Novo Advogado’ e ‘Um relatório para a Academia’ parecem uma espécie de paródia de ‘A Metamorfose’, mas com elementos diversos.

Em ‘Um relatório para a Academia’ há uma brincadeira com a Origem das Espécies. Kafka, que era ateu, possivelmente conhecia a Teoria da Evolução, pois na sua mocidade o livro já tinha cinco décadas. 

Segundo Kafka a apresentação dos contos não é aleatória e ele a defendeu até a edição sair como desejava. Embora a sequência  não pareça  lógica porque todas as histórias são diferentes umas das outras e não se ligam por nenhum personagem ou fato, há agrupamentos por traços temáticos —nos quatro primeiros há um ou mais cavalos em comum, por exemplo.  

 Kafka solicitou que as pessoas não olhassem as narrativas de modo alegórico nem as interpretassem como parábolas. Mas não é possível deixar de dar uma de crítico de arte e encontrar significados muito claros em contos como ‘Chacais e Árabes’.

“Escrever receitas é fácil, mas entender-se no resto com as pessoas é difícil” (na narrativa ‘Um Médico Rural’)

O livro foi dedicado ao Pai, o que é bem curioso. Kafka já estava doente e possivelmente queria algum tipo de reaproximação ou buscava aprovação. Ou não. Como vamos saber, não é mesmo?

A minha narrativa favorita é “Onze Filhos”, no qual o pai descreve cada um dos filhos, sem deixar de depreciar nenhum.

Lista dos contos:

O novo advogado
Um médico rural
Na galeria
Uma folha antiga
Diante da Lei
Chacais e árabes
Uma visita à mina
A próxima aldeia
Uma mensagem imperial
A preocupação do pai de família
Onze filhos
Um fratricídio
Um sonho
Um relatório para uma academia

Beijos,
Meire

Para saber mais: Contos, fábulas e aforismos

Aviso: As páginas associadas ao Blog da Monique 
contém links afiliados da Amazon e isso não afeta
o preço que você pagará no caso de realizar
qualquer compra por meio deles. É um recurso
de monetização para manter o blog no ar.

Obrigada pela visita ;)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.