Como organizo a limpeza doméstica #TDAH

Por @meire_md

Espero que este post seja útil para quem não tem empregados domésticos — seja por opção ou porque não pode custeá-los —e está tentando montar uma rotina de tarefas domésticas simples e eficiente.

Estendi um pouquinho o tema para mostrar como montei minha escala, que muda quando percebo que algo pode ser melhorado.

As alterações orgânicas são bem-vindas, por sinal.

Por onde começar a organização da casa?

Pelo destralhe.

Quando li “A Mágica da Arrumação” (Marie Kondo) fiz uma resenha desfavorável porque além de criar uma atmosfera meio mística, a autora orienta arrancar páginas favoritas de livros e jogá-los no lixo.

Fiquei bem chocada… Mas depois de algum tempo, muitas dicas da Marie Kondo ganharam sentido. Não sei se eu teria conseguido ir tão longe no destralhe se não tivesse lido o livro.

Não perca o tempo que perdi. Faça um arrastão em casa, venda ou doe tudo que for possível e mantenha o hábito. Só nos últimos três meses doamos uma cama, uma mesa de centro, camisas do Igor, outros livros, louças, copos e um ar condicionado portátil.

O destralhe é um ato de generosidade com você mesmo. Embora na vida real ele não funcione magicamente como vemos nos reality shows — levamos semanas ou meses para conseguir destralhar e organizar a casa — , a cada semana você começa a perceber efeitos positivos na produtividade e outras áreas da vida.

Há pessoas que defendem que um ambiente bagunçado reflete uma mente bagunçada. Não sei se a afirmação é baseada em boas evidências, mas acredito nela.

Para mim tem sido mais lucrativo emocionalmente ser organizada do que não ser. Tudo flui melhor, fico mais produtiva e feliz.
O tempo investido na organização pode parecer imenso no início, mas com o passar das semanas ele vai se tornando muito pequeno em relação ao perdido quando vivemos o caos típico da vida de uma pessoa com TDAH.

Quando você se dá conta, a casa está quase se arrumando sozinha. A minha bancada de maquiagem, que virava uma cena apocalíptica, hoje é limpa e reorganizada em poucos minutos.

O seu planejamento não precisa, e acho que nem deve, ser complexo.

É interessante priorizar as tarefas mais importantes, não deixar que as aleatórias se acumulem tanto e respeitar o seu ritmo. Você não vai mudar do dia para a noite e não é fácil.

Vem comigo.

Criando a rotina de limpeza doméstica com base em categorias

Na minha opinião uma boa rotina de limpeza tem no mínimo quatro categorias:

  • coisas que precisamos fazer diariamente;
  • coisas que podem ser feitas uma vez por semana;
  • coisas que podem ser feitas uma vez por mês; e
  • coisas aleatórias, que são aquelas que vão aparecendo do nada ou que se repetem com uma frequência incerta.

Só você saberá determinar quais demandas colocará em cada categoria. Comece listando tudo que precisa fazer, vá separando por categorias e testando na prática.

Coloquei os banheiros, a cozinha e a aspiração do chão na categoria de coisas que precisamos fazer diariamente. Acho mais que suficiente remover o pó dos móveis apenas uma vez por semana. Como não temos crianças nem pets e o básico está sendo bem feito, não vejo necessidade de fazer mais que uma faxina geral por mês.

As tarefas aleatórias, como tirar manchas da parede com esponja mágica, descartar notas fiscais e manuais de eletrodomésticos antigos ou providenciar a pintura da casa, são feitas eventualmente.

Como todo problema pequeno não resolvido pode acabar em um problemão, procuro não deixar as aleatoriedades acumuladas.

Minha categoria de coisas aleatórias fica na lista de tarefas da Alexa. Você pode usar o celular, um caderninho, um bloquinho de notas, post-its na geladeira, um quadro de avisos, qualquer coisa que funcione bem para você. O importante é anotar e cumprir.

Com a rotina semanal bem feita, a faxina geral não pesa tanto, a arrumação da casa fica cada vez mais fácil porque todo dia você volta alguma coisa para o lugar, o custo com compras desnecessárias reduz e você ganha espaço, claridade e paz.

Formar hábito é algo muito difícil para uma pessoa com TDAH porque nossa mente funciona no sentido contrário. Somos pessoas criativas, inquietas, interessadas em um monte de coisas ao mesmo tempo, não raro fazemos compras por impulso e somos naturalmente bagunceiras.

O básico bem feito é o que muda tudo. Bata o martelo até o prego entrar. Em um belo dia você vai ver que está tudo funcionando redondinho, mas vai perceber também como qualquer deslize pode abrir a porta para o caos. Ele nos ronda permanentemente.

Rotina para uma pessoa com TDAH é igual a usar anticoncepcional. Esqueceu de tomar o comprimido? Tome tão logo lembre ou seja possível. Se esta não for uma das suas metas, você não vai conseguir.

Minha rotina básica de limpeza da casa

Organizo várias áreas da vida com estas cinco diretrizes:

  1. agregar atividades para reduzir a perda de tempo;
  2. determinar dias da semana específicos para tarefas específicas;
  3. organizar a escala visando reduzir o retrabalho;
  4. manter o foco nas tarefas listadas; e
  5. só realizar uma tarefa aleatória quando as listadas para o dia estiverem concluídas —salvo se a tarefa extra for um caso de vida ou morte (deu para entender, né?).

Para domar a bagunça você precisa organizar um pouco da vida em todos os dias de todas as suas semanas, meses e anos. O resultado vem, e ele é ansiolítico.

Na minha escala atual não há mais um dia específico para arrumação porque dentro das atividades de cada dia aproveito para voltar coisas para o lugar. Se percebo que um cômodo está desorganizado, dou um pouco mais de atenção.

Quando constato alguma demanda aleatória — como a necessidade de limpar as maçanetas—, já digo: Alexa, coloca coisa tal na minha lista de tarefas. O mesmo faço quando lembro de algo que precisa ser comprado e não posso comprar no momento: Alexa, coloca item tal na minha lista de compras.

Não deixe suas lembranças nem as suas ideias soltas ao vento. Registre-as. Já há boas evidências em estudos cognitivos sugerindo que anotar é importante para garantir o cumprimento de metas. É como se nosso cérebro fizesse um pacto com a gente mesmo. Escrever tem esse poder.

ESCALA DOMÉSTICA

1. Tarefas de todos os dias

Coloco o robô para aspirar a casa todos os dias —com exceção dos domingos — e para passar pano uma ou duas vezes por semana, inclusive na área seca dos banheiros.

Não meço tempo nem fico regulando em que ambiente o robô deve ficar por mais tempo. Se um dia ele aspira melhor um ambiente do que outro, ok, vida que segue. Quando a bateria acaba, faço a limpeza básica e o coloco na base carregadora, para que no dia seguinte ele já esteja pronto.

Outra coisa que faço diariamente é lavar a pia do banheiro e higienizar a parte interna do vaso sanitário, o que me toma um minuto ou dois do tempo destinado ao banho da tarde.

Nos dias que lavo os cabelos, aproveito o tempo da máscara condicionadora e limpo toda a área de banho. Sempre que acho necessário, passo uma escova multiuso com cabo nos rejuntes do piso e da parede de cerâmica e lavo a parte externa do vaso sanitário.

Banheiro sempre limpo não dá trabalho nunca. Se você usa box de vidro — mandei arrancar o meu — há um trabalho adicional.

2. Especificando tarefas por dia da semana

Reservar um dia da semana para coisas específicas faz muita diferença para quem tem TDAH.
A rotina deixa nossa memória de trabalho mais livre e isso se reflete na eficiência com a qual executamos outras coisas. Depois me conta.

Reservo até uma hora por dia para executar tarefas domésticas, mas quando estou disposta e com mais tempo, adianto coisas para deixar a faxina mensal mais leve ou até para me liberar de atividades do dia seguinte.

Depois das tarefas domésticas faço exercícios físicos (falho na regularidade dos exercícios, mas faço).

Acho interessante agrupar nesta sequência porque já começo os exercícios aquecida e depois vou para o banho, ou seja, são três tarefas encarrilhadas – limpeza doméstica, exercícios físicos e banho.

Nunca faço exercícios físicos nas sextas-feiras. Eles não me relaxam, não melhoram meu sono, não me deixam mais feliz. Não acredite em quem defende que todo mundo se vicia em exercícios ou isso ou aquilo, há pessoas que se viciam e pessoas que não. Faço pelo mesmo motivo que uso meu anti-hipertensivo religiosamente: porque sou adulta e ciente de que o exercício físico é importante para minha saúde.

2. 1 Segunda-feira

É o dia das ROUPAS, tanto as minhas quanto as do Igor, as de cama, mesa e banho, mantas de sofás, paninhos de limpeza, refis dos MOPs etc.

Enquanto dobro e separo as roupas limpas, vejo se há alguma peça a ser reparada, substituída, desamassada ou se há peças com bolinhas para remover.

Quando estou dobrando os panos de microfibra (móveis, multiuso, banheiro e vidros) e os refis do MOP 2 em 1, do MOP Flat Chenile, do MOP do robô ou o pano do espanador, observo se tem alguma farpa de madeira ou algum outro resíduo, e removo.

Não passo roupas. Para desamassar algumas uso o Vaporizador Black and Decker e para remover as bolinhas, o Papa Bolinhas.

Enquanto guardo as roupas já dou uma arrumada nas bagunças de armários e gavetas.

Quando há peças a reparar, faço o reparo logo ou executo na segunda-feira seguinte.

Recentemente mostrei para vocês como uso a cola pano e vocês já conhecem a minha máquina de costura.

Se você tem filhos, envolva-os na tarefa. Dependendo da idade, cada um pode dobrar e guardar suas roupinhas.

2.2 Terça-feira

É o dia de tudo relacionado às COMPRAS, de passar o MOP  no chão de toda a casa e de escolher alguma tarefa aleatória para executar.

Na terça reorganizo (na Alexa) a lista de compras. Vou apagando ou acrescentando itens e confiro se preciso mesmo comprar A ou B, pois posso ter comprado e esquecido de apagar, o que é bem frequente por sinal. Estas coisas somem da nossa mente.

Descarto caixas vazias, vejo se há coisas vencidas pela casa, verifico as comidinhas e bebidas, olho meu armário de cosméticos e o armário do banheiro do Igor para não deixar faltar itens básicos nem estocar em excesso. Enquanto faço isso já aproveito para dar uma arrumadinha no que estiver fora do lugar e limpar alguma gaveta.

Depois de passar o MOP Spray na casa toda, pergunto: Alexa, o que tem na minha lista de tarefas?

Escolho algo, e faço. Precisamos cumprir a regra de só começar a tarefa aleatória depois que a escala do dia foi cumprida. Se bagunço a rotina, perco o foco.

2. 3 Quarta-feira

É o dia do PÓ.

Uso máscara PFF2 só quando acho necessário (quando minha asma está mais chatinha).

O meu kit Pó é este:

Removo o pó de cima para baixo e do macro para o micro, ou seja, primeiro do rodateto ao rodapé e depois das superfícies maiores para as menores.

Isto torna o trabalho mais rápido e mais eficiente. Se você limpar o que está embaixo primeiro, quando for limpar a parte de cima, pode transferir pó para o que já estava limpo.

Passo o MOP Flat nas paredes, depois o espanador chenile em todas as áreas possíveis, como cortinas, portas, por cima de livros, em face exposta de prateleiras, obras de arte, instrumentos musicais etc.

Nas áreas não alcançadas pelo espanador e nas áreas menores, uso o pano de microfibra para móveis, os pinceis de 1 polegadas e o aspirador portátil.

Durante o processo aspiro o paninho do espanador algumas vezes para evitar sujar uma superfície com o pó de outra.

Aí ligo o robô e saio aplicando o Poliflor Multissuperfícies onde parece necessário.

2.4 Quinta-feira

É o dia dos VIDROS, ESPELHOS e outros materiais nos quais uso o mesmo grupamento de produtos, como telas e corpos de eletrônicos, inox, mármore, granito e alguns eletrodomésticos.

É neste dia que faço a limpeza minuciosa dos aspiradores.

Agrupar deixa tudo mais rápido. Lembra que o pó já foi removido na quarta? É assim que se reduz o retrabalho.

Produtos que uso:

Falei sobre cada produto no post com a lista dos favoritos para a limpeza da casa.

É preciso organizar a rotina pensando em poder cumpri-la com a maior regularidade possível.

Meus compromissos sociais geralmente são nas quintas (principalmente) ou sextas, por isso deixei a quinta-feira bem light.

Se eu tiver algum compromisso na sexta, transfiro as tarefas da sexta para quinta e vice-versa. Se eu tiver compromissos na quinta e sexta, dedico algumas horas do sábado para fazer o que for mais importante e assim sucessivamente.

O importante é não deixar acumular.

2.5 Sexta-feira

É o dia que chamo de BANCADAS (home office, oficina, quarto de dormir e bancada de maquiagem).

Começo pelo ponto mais distante da bancada de maquiagem.

Levo um quase nada de tempo (uns dois minutos) na do home office porque já estou conseguindo reorganizá-la rapidamente após cada uso. Verifico a gaveta, o compartimento do suporte do monitor e a prateleira para ver se deixei coisas de outros ambientes por lá e se preciso limpar os organizadores da gaveta ou repor algum item (post-its, durex, grafites para minha lapiseira Pentel 0,9 etc).

A oficina é o ambiente mais propenso ao caos, mas tudo tem seu lugar (uso o rotulador Dymo , caixas transparentes e outros organizadores).

Lá tem máquina de costura, ferramentas dos hobbies do Igor, colas para vários tipos de materiais, fitas adesivas de muitos tipos, papeis de presente, espaço para minhas atividades contemplativas, organizadores diagonais cheios de coisinhas para desenhar e pintar, livros de desenho, material para aquarela e caligrafia…

A oficina é o parque de diversões da casa. O lado do Igor segue caótico, mas ele sabe onde as coisas estão e não me incomodo (é só não olhar para trás). Essa parte me toma uns 10 minutos ou mais.

No quarto de dormir temos duas bancadas. Quando dou por mim as duas estão cheias de livros e caderninhos. Bagunço sem perceber porque consulto muitos livros durante a semana. Removo livros já lidos, escolho os que quero ler no fim de semana, vejo se tem caderninho para guardar e se preciso aplicar multissuperfícies em algum lugar.

Finalizo as tarefas do dia com bancada de maquiagem porque acho muito relaxante.

Na minha bancada tem nichos para os sapatos (a maioria da Osklen e da Capodarte), e um armário de quatro portas, onde ficam minhas bolsas, roupas que vou usar na semana e o estoque de cosméticos e produtos de higiene pessoal.

Realimento as cápsulas de roupas e cosméticos, vasculho tudo, limpo os organizadores de gavetas e embalagens de cosméticos, higienizo esponjas, pinceis, escova de cabelo, pente, escova secadora; lavo as toalhinhas de face e demaquilante usadas na semana, mexo nas amostras grátis, troco a cabeça da minha escova de dentes elétrica e de tempos em tempos hidrato o couro das bolsas e sapatos.

É meu dia favorito!

Produtos que uso:

2.6 Sábado

Eu e o Igor não costumamos sair de casa pela manhã.

Acordo muito cedo e almoço tarde porque adoro fazer o fim de semana durar muitas horas. Quando vamos sair para almoçar já vivi umas nove horas.

Com a adoção do robô consegui deixar todas as tarefas braçais para os dias úteis e ficar com o sábado livre para os planejamentos, leituras e outras coisas, mas ainda preciso dedicar uma manhã de sábado por mês para a faxina geral.

Aos sábados faço planejamentos diversos com a Alexa, elimino itens da lista aleatória e acrescento outros, checo meu planner de trabalho, revejo as finanças, respondo vocês no Instagram, organizo minhas caixas de e-mail, rascunho posts para o blog, concluo algum livro que não tenha finalizado durante a semana, organizo resumos, organizo o Kindle, faço atividades contemplativas.

O dia rende um monte.

A regra é: depois do almoço de sábado — que no dia de faxina geral ocorre lá pelas 15h — só executamos serviços domésticos essenciais, que são aqueles que garantem a subsistência dos seres humanos.

Faxina Geral

Dedicamos uma manhã de sábado por mês para a faxina geral e uma das nossas tarefas é localizar coisas para doar.

Tenho pensado em eliminar esta faxina geral mensal criando uma escala de atividades para que o Igor faça aos poucos durante o mês.

Vamos melhorando sempre.

Organize-se e seja leve. Estou torcendo por você!

Beijos,

Meire

Leia também:

Produtos de limpeza domésticos favoritos

Mais sobre o meu TDAH (e o seu)

Os dentes também envelhecem

Para saber mais sobre TDAH, controle de ansiedade e melhora da aprendizagem :

📔 Mentes Inquietas:  TDAH: desatenção, hiperatividade e impulsividade 

📔 Vencendo o TDAH adulto

📔 Fixe o conhecimento: A Ciência da Aprendizagem Bem-Sucedida

📔 Estudantes de alto desempenho

📔 Menino Tinoco, uma história sobre TDAH

📔 Medicina e Meditação

 

2 comentários em “Como organizo a limpeza doméstica #TDAH”

  1. Oi, Meire! 🙂 Que post gostoso de ler!

    Eu me apaixonei de cara pelo método KonMari e consegui me desapegar de várias coisas depois de ler o Mágica da Arrumação. (Eu consegui até me desfazer de livros, que eu fazia coleção; mas fique tranquila que não arranquei páginas, hahaha.)

    Eu sempre demoro muito na limpeza e descobri o motivo recentemente: eu quase nunca consigo começar algo e ir até o fim direto. No meio do processo, eu vou lembrando de outras coisas que preciso fazer. No final das contas, eu faço (quase) tudo e termino o que comecei, mas levo um tempo absurdo.

    Além do “feito é melhor que não feito”, eu gosto também daquele dito “quando sair, deixe o lugar melhor do que quando entrou” porque ajuda a sempre organizar uma coisinha aqui e outra lá.

    Até! o/

    Curtido por 1 pessoa

Obrigada pela visita ;)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.