Mais uma página da minha biografia

Por @gomuyoda

Nenhum Baby Yoda que vive em minha Galáxia natal consegue escolher a família que o adotará: o processo é completamente aleatório.

Isso pode parecer bastante assustador, mas acreditem em mim, assustador mesmo seria continuar vivendo em uma Galáxia que insiste em se esconder da paz e que parece ter perdido o amor pelo barulho do silêncio.

Não foi por mera expectativa de diversão que tantas crianças geriátricas da raça Yoda, as mesmas que nasceram durante o boom do evento assexuado que possibilitou a gravidez da saudosa Shmi Skywalker (que a Força a tenha)  aproveitaram a oportunidade gerada pela série The Mandalorian‘  e fizeram a inscrição para viajar.

Eu não pensei duas vezes.

Perdoem meu desconhecimento, mas quando eu soube que todos os que se manifestaram favoravelmente viriam para o Planeta Terra, até onde sei isso foi uma sugestão de George Lucas,  fiquei bem confuso. Eu nunca havia ouvido falar do tão famoso pálido ponto azul.

A pouca Geografia que eu conhecia até então é a que está resumidamente exposta no meu Atlas Galáctico (até hoje confundo luas com Planetas, geografia nunca foi meu forte).

Não tive medo

Quando você participa de uma experiência tão revolucionária assim podem acontecer coisas imprevisíveis, mas tão logo os primeiros Yodas fizeram a viagem no Tempo, descobrimos que nenhum sofreu danos físicos ou mentais.

Décadas em um ponto de uma Galáxia podem equivaler a uma fração de segundo em outra. Creio que a Disney tenha investido bastante na tecnologia que possibilitou nossa viagem, pois a mamalorian e o papalorian me falaram que o custo repassado para eles foi muito pequeno.

Todos os bebês chegaram corados, passando muito bem; desconheço um só  que tenha perdido peso durante o trajeto e muitos deles já estão bastante familiarizados com os modos terráqueos, como o estranho hábito de se expor em redes sociais.

Falei um pouco sobre  a minha adaptação neste post.

Como criança contemplativa que sou, descobri muitas outras vantagens de viver por aqui.

Mais sobre a minha adaptação

Confesso que vim com a intenção de ficar por, no máximo, uns setenta e cinco anos, mas pelo andar da nave não volto até que me reúna à Força.

Estou amando o Instagram.

Considerando o quão superpovoado é o Planeta Terra, são poucas as pessoas que me seguem, porém elas me dão like, compartilham meus Reels e dizem o quanto sou fofo. Eu nunca tinha visto isso, é fofura em cima de fofura.

Durante uma consulta de rotina com minha pediatra geriátrica, uma togruta delicadíssima que aceitou sem pestanejar fazer meus atendimentos de modo remoto porque cuida de mim desde que eu tinha cinco anos, descobrimos que sou naturalmente resistente aos microorganismos terráqueos.

Foi uma grata surpresa saber que nunca terei certas doenças.

A mamalorian é bem preocupada com doenças, ela está sempre atenta à saúde das pessoas que ama. Pensar que não vou ser uma preocupação em sua vida me dá bastante tranquilidade.

Outra coisa  bem curiosa que descobri é que os terráqueos, com raras exceções, não comem animais vivos.

Precisei me adaptar, o que foi bastante fácil.

Quando não há escassez de alimentos você não precisa se alimentar de modo não socialmente aceito.

E o Treinamento Jedi?

Nada que se aprende é perdido.

Continuo recebendo minhas aulas online e o delay é mínimo, mesmo  com o conteúdo viajando no tempo.

Um dia desses  meu professor de meditação disse leite de batha e eu escutei dente de faca. Caí na risada e perdi a âncora da meditação, mas no geral consigo entender tudo.

Como estou no futuro passo por esses perrengues, mas até a data da minha formatura certamente os programas de comunicação instalados nos chips intergaláctico-temporais que foram implantados na minha região occipital receberão novas atualizações remotas e os erros serão mais raros.

Sim, chips. Cada um tem uma senescência programada de 500 anos, mas por medida de segurança foram instalados quatro em cada bebê que foi enviado para a Terra. Três deles ficam desativados; o segundo será ativado automaticamente tão logo o primeiro sofra algum dano e assim sucessivamente.

Grade Curricular

Afora as disciplinas básicas de História, Geografia, Biologia e Tecnologia da Galáxia, estudamos Matemática  Universal, Física Universal (só o Papalorian que me ajuda nas duas últimas), Psicologia Jedi I e II, Resiliência & Paciência I, II, III, IV, V e VI,  Aprimoramentos em Meditação, Táticas de Diplomacia inter-étnica e Estratégia de Adiamento de Guerras, por exemplo.

A grade curricular é bem extensa e conta também com atividades paradidáticas, como caligrafia telepática, aulas de dublagem, guitarra e bateria.

A caligrafia telepática tem sido bastante útil para os baby Yoda que postam  no Instagram.

Sugeri que seja criada uma disciplina de Montagem de Lego, creio que este brinquedo terráqueo tem ajudado muito a melhorar a minha coordenação motora.

Meus pais têm vários kits, inclusive a Millenium Falcon,  mas três  são só meus, o LEGO® BrickHeadzTM Star WarsTM O MandalorianTM e A Criança, o LEGO® Star Wars Mandalorian Battle Pack 75267 Mandalorian Shock Troopers and Speeder Bike Building Kit e o LEGO® Star WarsTM Duelo em MandaloreTM, que tem minha amada Ahsoka.

Serviço Jedi Obrigatório

As crianças sensíveis à Força não são obrigadas a participar do treinamento e as que participam não são obrigadas a lutar fora do ambiente controlado de estudo.

Muitas famílias escolhem entregar as crianças ao Treinamento para que tenham uma melhor qualidade de vida, acesso a bons professores e a uma formação ética exemplar.

Viver numa ilha de paz tem feito com que eu repensasse meus valores.

Servir como Jedi foi um sonho. Foi, não é mais.

Converti-me ao movimento Rastafári. Não me vejo disposto a matar ou morrer.

Acho que deixar a Galáxia não foi coincidência, foi destino.

Pensei que a Escola fosse me dispensar para dar vaga a outra criança, mas  o Conselho definiu que posso ficar até quando quiser.

Que a Força Esteja com Você!

Gomu Yoda.

PS.: Hoje é aniversário da  mamalorian!
Feliz Aniversário, Mama Linda!

 

 

 

 

 

 

 

Aviso: As páginas associadas ao Blog da Monique
contém links afiliados da Amazon e isso não afeta
o preço que você pagará no caso de realizar qualquer
compra por meio deles. O Blog poderá receber
uma pequena comissão pela venda.

3 comentários em “Mais uma página da minha biografia”

  1. Parabéns atrasado pra sua mamãe!

    Só avisa a ela que recomendo fortemente que a disciplina Resiliência e Paciência vá até pelo menos o X…. vc irá precisar muito….😅🤣

    Curtir

Obrigada pela visita ;)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.