Minha Breve História


‘Meus primeiros trabalhos mostraram que a relatividade geral clássica colapsava nas singularidades do Big Bang e dos buracos negros. Minhas pesquisas posteriores mostraram como a teoria quântica pode prever o que acontece no começo e no fim do tempo (…) Fico feliz se acrescentei algo ao nosso conhecimento do universo’

Por @meire_md

 

‘Minha Breve História’ é a autobiografia de Stephen Hawking (1942-2018), um dos cientistas mais conhecidos e admirados do mundo.

A tradução para o português foi revisada por Amâncio Friaça, astrofísico vinculado à USP.

 Até poderíamos afirmar que a vida de Stephen Hawking tenha sido uma clássica história de superação, mas essa palavra é… insuficiente.

Não me vem uma palavra que sozinha consiga dar nome ao nível de superação alcançado pela resiliência e fé em si mesmo que este homem exibiu em sua vida. Acho que só Douglas Adams conseguiria inventar uma palavra adequada.

Costumo falar que a personalidade da pessoa é sempre seu melhor amigo ou seu pior inimigo.

Se a personalidade fosse algo possível de ser copiado, o mundo seria muito melhor se encontrássemos uma fórmula que replicasse personalidades como a dele, que mesmo 100% dependente de terceiros e de aparelhos para atos tão básicos quanto respirar ou comunicar-se, foi alguém extremamente produtivo, feliz e cheio de vontade de viver.
 

‘Em meu último ano em Oxford, notei que estava ficando cada vez mais desajeitado. Fui a um médico depois de cair de uma escada, mas tudo que ele disse foi: Pare de beber cerveja. Fiquei ainda mais desajeitado depois que me mudei para Cambridge. No Natal, quando fui patinar no lago em St. Albans, caí e não consegui me levantar’ (Sobre os primeiros sinais da Doença de Lou Gehrig, conhecida como Esclerose Lateral Amiotrófica – ELA)

Hawking foi aceito na Oxford University aos 17 anos e aos 20 anos iniciou seu PhD em Cambridge.

Aos 21 anos ele recebeu formalmente o diagnóstico de ELA e aos 22  (1964) já estava usando cadeira de rodas.

Em 1965 casou-se com Jane, com quem teve um longo casamento e três filhos.

Foi essa bela mulher que viabilizou sua tese de doutorado, pois desde o início do casamento ele já não conseguia datilografar.

‘Meu trabalho com os Buracos Negros começou com um momento “eureca” em 1970, alguns dias depois do nascimento da minha filha Lucy’

Participação de Stephen Hawking em The Big Bang Theory

‘Nosso terceiro filho, Tim, também nasceu em 1979 (…) ela estava preocupada que eu fosse morrer em pouco tempo (…) Ela encontrou Jonathan Jones (…) e cedeu a ele um quarto em nosso apartamento (…) fiquei cada vez mais infeliz com a proximidade entre Jane e Jonathan (…) em 1990 fui morar (…) com (…) Elaine Mason (…) Eu e Elaine nos casamos em 1995. Nove meses mais tarde Jane se casou com Jonathas Jones.’


Hawking e sua família não escaparam de fofocas e comentários maldosos.  Além de erros bobos sobre sua vida que são replicados em alguns blogs, encontrei muita notícia distorcendo as relações que ele teve com Jane e com Elaine.

Como grande homem que foi, o cientista discorreu sobre sua vida afetiva de forma extremamente respeitosa com as ex-mulheres.

O Processo de criação de ‘Uma Breve História do Tempo’


No Capítulo 10 de ‘Minha Breve História’ é revelado  como foi o processo de criação do livro ‘Uma Breve História do Tempo’, sua primeira obra destinada a leigos e que apareceu com destaque em um dos meus filmes favoritos, Donnie Darko.

O livro ‘Uma Breve História do Tempo’ foi iniciado em 1982, quando Hawking  já estava com importante incapacidade vocal.

Por consequência de uma pneumonia grave sofrida no ano de 1985, ele foi traqueostomizado, perdeu completamente a capacidade de falar; após longo período de reabilitação e graças à dedicação inestimável da enfermagem, o cientista passou a comunicar-se com um cartão de papelão, sinalizando letra por letra.

Os garotos do Vale do Silício desenvolveram um sintetizador de voz e Hawking passou a comunicar-se às custas de um resíduo de movimento em um dedo de uma mão.

Após a paralisia total do pouco que restava de movimentos em seus membros, ele passou a usar o movimento de músculos da face para ativar o cursor do sintetizador.

Foi assim, conseguindo produzir uma a três palavras a cada minuto, que em 1988 ele finalizou ‘Uma Breve História do Tempo’.


‘ (…) enviaram-me a São Francisco, onde ministrei cinco palestras em seis dias e fiquei muito cansado (…) Elaine me ressuscitou. Todas essas crises a afetaram emocionalmente. Nós nos divorciamos em 2007, e desde então eu moro sozinho com uma governanta (…)

ELA

A Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA)  é progressiva, inclemente.

Em 2011  Stephen Hawking passou a usar respirador 24 horas por dia, mas continuou bem humorado, trabalhando, escrevendo, dando palestras, orientando alunos e fazendo apostas com amigos.

A carga emocional e também a carga de trabalho que uma família assume quando cuida de uma pessoa com deficiência tão incapacitante quanto foi a  dele é imensurável, acredito que conhecer histórias similares seja importante para estimular as pessoas a prosseguirem.

Não há como não se emocionar com o Documentário Minha Breve História, que complementa as informações do livro com ricos depoimentos.

No dia do Pi, há 3 anos, o mundo perdia Stephen Hawking, mas o legado que ele deixou é imortal.

Leia ‘Minha Breve História’. Poucas biografias são mais inspiradoras que ela.

Beijos,

Meire

Leia também: As Armadilhas do cérebro são implacáveis

Stephen Hawking na Amazon

📔 Minha Breve História | capa comum ou Kindle

📔 ‘Uma Breve História do Tempo’ | capa comum ou Kindle
📔 A Teoria de Tudo (livro que inspirou o filme) | capa comum ou Kindle
📔 O Universo Numa Casca de Noz  | capa comum ou Kindle
📔 Breves Respostas para Grandes Questões | capa comum ou Kindle

 
 
 
Aviso: As páginas associadas ao Blog da Monique contém links afiliados da Amazon e isso não afeta o preço que você pagará no caso de realizar qualquer compra por meio deles. O Blog poderá receber uma pequena comissão pela venda.